e já não és senão como te sinto.



Constantino Cavafy

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!