sexta-feira, 14 de dezembro de 2012



Ah forte como a loucura é

o amor, o amor como a eletricidade dos campos. 

O amor-pirâmide, o amor-trevo-de-quatro-folhas, 

o amor-moeda-achada-no-chão.

Não digas sorte, diz privilégio. 

Não peças perdão, pede chuva.

 Não recues, assombra-te



Vasco Gato
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...