Feliz assim por teres tudo o que sou?

Feliz por perderes tudo o que sei? 

Só não te dou o que não serei.

Não, a minha morte, não ta dou.






Inês Pedrosa
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!