quinta-feira, 4 de outubro de 2012



"(...) 
Saudade bruta... 
(...) 
Aflição de não ser outro lugar, outro tempo. 
(...) 
Energia zero indo embora pelas teclas da máquina, livros para a Around. 
Nenhum remédio que dê alegria: a seco, amanhã continuo. 
A ausência também. 
Ou não? 
Pode ser." 




Caio Fernando de Abreu
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...