(...)

bem gostaria de me dar ao luxo

de ter o tempo todo que quisesse

para fazer só coisas esquisitas,

coisas desnecessárias, prescindíveis

e, sobretudo, inúteis e patetas.

por exemplo, amar-te com loucura.






Amalia Bautista
4 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!