Mas a noite é nua,
E, nua na noite,
Palpitam teus mundos
E os mundos da noite



Manoel Bandeira
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!