Houve uma criança em mim que amava o teu corpo...



Houve uma criança em mim que amava o teu corpo e nele se escondia para estar só e ausente.
E sabia então que a tua luz crua e firme calava a ira e ofuscava a discórdia que viviam outrora no interior dos quartos
Hoje, assim contigo, face a face, fecho as pálpebras e apenas com o tato te sinto e reconheço.



Fiama Hasse Pais Brandão

1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!