eu toco-me e pronuncio o teu nome
e enquanto ardo prometes sempre que voltas.
Não tenho a certeza, meu amor.
O mundo é um animal ofegante cujo hálito contém a perdição das rosas. 
(...)



José Agostinho Baptista
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!