seduz-me a ideia de
vir a morar num corpo que já não sente,
etílico talvez,
transparente,
e com uma leveza de cinzas.



Al Berto
6 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!