segunda-feira, 2 de julho de 2012

beba-me!


Tantas formas revestes, e 
Nenhuma Me satisfaz!
Vens ás vezes no amor, 
E quase te acredito.

Mas todo o Amor é um grito
Desesperado
Que apenas ouve o eco...
Peco.
Por absurdo humano:
Quero não sei que cálice profano
Cheio de um vinho erético e sagrado.



 Miguel Torga
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...