É um silêncio sem ti,



E de súbito desaba o silêncio.


É um silêncio sem ti,

Sem álamos,

Sem luas.

nas minhas mãos

Ouço a música das tuas.


Eugênio de Andrade
7 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!