domingo, 6 de maio de 2012


Quando já não há restos de voz na fala no momento em que devagar escrevo silêncio no corpo. Como movimento imperfeito da respiração aceito lágrimas. 



Maria Sousa

*vez em quando, o corpo precisa desabafar!
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...