o teu silêncio penetra-me



desliza-me 
é barco de madeira doce


e porto de mim.




Kha Tembe
14 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!