foi...


A raiz do linho

foi meu alimento,
foi o meu tormento.

Mas então cantava.



Eugênio de Andrade.
8 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!