E tudo o que esteve grávido de futuro ficou, de repente, envenenado de passado



Luís Sepúlveda
14 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!