Do orvalho
Nunca esqueças 
O branco gosto solitário.



Matsuo Bashô
8 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!