(...)

E o bater do meu coração 

Sustenta o ritmo das coisas.



Sophia de Mello Breyner Andresen
8 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!