Perguntou-me baixinho o que me matara:


- A beleza!, respondi.






Emily Dickinson,
11 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!