Ide... tendes estradas,


Tendes jardins, tendes canteiros,


Tendes pátrias, tendes tetos,


E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios.


Eu tenho a minha Loucura: Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,


E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios!


Deus e o Diabo é que me guiam, mais ninguém.


Todos tiveram pai, todos tiveram mãe,


Mas eu, que nunca principio nem acabo,


Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.


Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!


Ninguém me peça definições!


Ninguém me diga:"vem por aqui"!


A minha vida é um vendaval que se soltou.


É uma onda que se alevantou.


É um átomo a mais que se animou...


Não sei por onde vou,


Não sei para onde vou,


-Sei que não vou por aí!





José Régio
13 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!