este amor é de carne - é foz patente


de um rio sempre a crescer, sempre na esteira


do que tão perto está mesmo se ausente.







João Rui de Sousa.
19 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!