Calam-se as cordas.
A música sabia o que eu sinto


Jorge Luis Borges
7 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!