...O eterno outono parece belo... A quem perdeu todas as sementes,


Estou com a idade pousada nas mãos.
Explico-me com dedicação aos berços fundos
Onde cada coisa dorme o seu medo de morrer.




Há na tristeza um perigo de terminar:
O eterno outono parece belo
A quem perdeu todas as sementes.



Pergunta-se um nome e ninguém responde.
Onde fica essa ilha a que só chegamos por naufrágio?







Vasco Gato
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!