domingo, 5 de fevereiro de 2012



doenças piores que as doenças,
dores que não doem, nem na alma
Mas que são dolorosas mais que as outras.


angústias sonhadas mais reais
Que as que a vida nos traz,
sensações sentidas só com imaginá-las
Que são mais nossas do que a própria vida.


Há tanta coisa que, sem existir,
Existe, existe demoradamente,
E demoradamente é nossa e nós...


Por sobre o verde turvo do amplo rio
Os circunflexos brancos das gaivotas...
Por sobre a alma o adejar inútil
Do que não foi, nem pôde ser, e é tudo.




Fernando Pessoa
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...