Em tudo o que vês, é a ti que vês. E tudo o que vês diz-te quem tu és. O teu olhar encerra-te. O teu olhar contém-te. O teu olhar liberta-te. Em tudo te vês, em nada tu és.



Luís Ene
8 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!