sábado, 28 de janeiro de 2012

Talvez, porque amar, seja uma 'espécie' de mergulho, de entrega...



O país do amor não tem horizontes
nem sequer tem horas
O país do amor não possui caminhos
Está-se lá, apenas
Vive-se lá, onde todas as perdas são possíveis. 
As águas do amor são mais humildes que transparentes, 
e a elementar serpente que as atravessa, e que arrulha como 
uma pomba, é na realidade uma pomba se tu não quiseres 
que seja uma serpente.
Onde estou, espero por ti e amo-te. 
Olho para ti, e o meu olhar beija-te. 
Canto, e é a ti que canto.




Joaquim Pessoa
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...