Recordo-te
E és a mesma
Ternura quase impossível
De suportar
Por isso fecho os olhos



Alexandre O'Neill
6 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!