Mas é assim que eu sou

Ou era assim que eu era, antes do aço (...)





Caio Fernando de Abreu
5 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!