deveríamos morrer assim:

explodir no ar!



Eugênio de Andrade
5 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!