quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

E era Dezembro que floria...




Natal! Natal! (diziam).

E acontecia.Como se fosse na palavra a rosa brava

acontecia. E era Dezembro que floria.

Era um vulcão. E no teu corpo a flor e a lava.


E era na lava a rosa e a palavra.

Todo o tempo num só tempo:

nascimento de poesia.




Manuel Alegre


À Você que caminhou comigo: um natal de paz, e de luz interior, 
Que todos os dias, renasça em seu coração, a chama da esperança, 
Um abençoado natal, 
Um bom natal, 

Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...