terça-feira, 15 de novembro de 2011


Um poema
sem outra angústia que a sua misteriosa condição de poema.
Triste
Solitário
Único

Ferido de mortal beleza.



Mário Quintana
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...