quinta-feira, 3 de novembro de 2011



Tua flor me deu alguém pra amar
E quanto a mim?


Você assim e eu, por final sem meu lugar
E eu tive tudo sem saber quem era eu...



Eu que nunca amei a ninguém
Pude, então, enfim, amar...!


Marcelo Camelo e Rodrigo Amarante
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...