Tua flor me deu alguém pra amar
E quanto a mim?


Você assim e eu, por final sem meu lugar
E eu tive tudo sem saber quem era eu...



Eu que nunca amei a ninguém
Pude, então, enfim, amar...!


Marcelo Camelo e Rodrigo Amarante
5 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!