Três fósforos acesos
um a um durante a noite.



O primeiro para ver teu rosto,
O segundo para ver teus olhos e
O último para ver tua boca.


E a escuridão inteirinha para lembrar tudo isso
Estreitando-te em meus braços.


Jacques Prévert
4 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!