segunda-feira, 14 de novembro de 2011


Quando ao longe a tua voz me acena, 


E a fúria do dia que nos pesa se faz manhã clara, 


Reinvento todas as rimas da primavera.






Renata Correia Botelho
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...