Os meus demônios tratam-me pelo nome.
Os meus demônios são legião e não desertam.

Os meus demônios obedecem a todas as ordens e a nenhuma vontade.

Os meus demônios começaram por ser meus por afinidade e agora são parentes de sangue.
Os meus demônios é que escrevem os poemas.





Pedro Mexia
2 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!