No Azul, qual uma esfinge, eu reino Indecifrada






Baudelaire
6 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!