...não sei por quê acontece assim e é sem querer...


"Precisava falar-te ao ouvido
De manter sobre a rodilha do silêncio
A escrita.

Precisava dos teus joelhos. Da tua porta aberta.
Da indigência. E da fadiga.


Da tua sombra sobre a minha sombra
E da tua casa
E do chão."






Daniel Faria
8 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!