sexta-feira, 4 de novembro de 2011



Então não estou onde estou.


Em pensamento eu,


Deixo meu corpo e saio, para longe, para lugar nenhum,


e não quero estar com ninguém, nem mesmo comigo,


e não tenho, nem quero ter, nome algum: 


então perco a vontade de me chamar ou de ser chamado




Eduardo Galeano
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...