Oh que saudades que eu tenho
Da aurora de minha vida

 Das horas

Que os anos não trazem mais

De minha infância

Naquele quintal de terra

Na Rua de Santo Antônio


Debaixo da bananeira
Sem nenhum laranjais



Oswald de Andrade
5 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!