Eu não cavei teus abismos de mim. 
Fui teu abrigo, teu barco e lua cheia iluminando o caminho.

Você escureceu nosso afeto, minou nosso rio. 

Pra eu ficar, só precisava do seu toque-agasalho.
Você me deu um punhado de frio.




Marla de Queiroz
4 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!