domingo, 2 de outubro de 2011


canta, filha!
     não há morte para a tua inocência,
         não há mãos para estrangular teu canto,
             não há grades para os de olhos claros,
                  não há muros para quem sempre viveu


                                          do outro lado!








Antonio Simões
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...