Braços esquálidos

de árvores nuas,

procurando,

nas nuvens,

sinais da Primavera.





Gundula Stegliz

3 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!