Abro-me em árvore quando tenho saudades do verde





Casimiro de Brito
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!