quarta-feira, 28 de setembro de 2011


Tudo quanto amamos ou perdemos
coisas, seres, significações – 
nos roça a pele e assim nos chega à alma, 

e o episódio não é, em Deus, mais que a brisa que me não trouxe nada salvo o alívio suposto, 

o momento propício e o poder perder tudo esplendidamente.



 Fernando Pessoa
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...