quarta-feira, 28 de setembro de 2011

tendo a lua como testemunha, eu:


Cantei no frio da noite, à espera que viesses dizer-me que os vizinhos não conseguiam dormir. 

À espera que me viesses dizer que também tu te mantinhas de olhos abertos sem parar de me ver




Valter Hugo Mãe
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...