nos olhos da libélula
refletem-se
montanhas distantes

Issa Kobayashi
2 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!