sexta-feira, 23 de setembro de 2011




Não é que morra de amor, MORRO DE TI
Morro de ti , amor, de amor de ti,

Da urgência da minha pele de ti,
Da minha alma de ti e da minha boca,

E do insuportável que sou sem ti.




Jaime Sabines


Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...