...busca...



Sabe, Senhor, que tanto vai o cântaro à água, que enfim se parte: e como diz muito bem esse autor que não conheço, o homem está neste mundo tal como o pássaro no ramo, o ramo está preso à árvore, quem se prende à arvore segue bons preceitos, os bons preceitos valem mais do que as belas palavras, as belas palavras estão na Corte. Na Corte estão os cortesãos, os cortesões seguem a moda, a moda vem da imaginação, a imaginação é uma faculdade da alma, a alma é o que nos dá vida, a vida acaba na morte, a morte faz-nos pensar no Céu, o Céu está por cima da terra, a terra não é o mar, o mar está sujeito aos temporais, os temporais atormentam os navios, os navios precisam de um bom piloto, um bom piloto tem prudência, a prudência não se encontra nos jovens, os jovens devem obediência aos velhos, os velhos gostam das riquezas, as riquezas fazem os ricos, os ricos não são pobres, os pobres sofrem necessidade, a necessidade não tem lei, quem não tem lei vive como bruta fera, e por consequência sereis condenado a todos os demónios.






Jean-Baptiste Poquelin

1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!