Vem e me nina, continuo tão meninaToma meu pranto, me arruma um canto, pode ser no meio do teu encanto. Que encanta. Vem e me canta, pode até cantar mansinho, sussurrar carinho. Só preciso ficar segura, sou pequena e não é só de altura.


Paula Andrade.
2 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!