Não quero medir a altura do tombo, 

Nem passar agosto esperando setembro



 Zeca Baleiro

17 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!