Sentia o mundo palpitar docemente em seu peito,

Doía-lhe o corpo como se nele suportasse a

Feminilidade de todas as mulheres



Clarice Lispector 
7 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!